quinta-feira, 24 de março de 2011

Basta!


Cansei de erros do governo quando se trata de economia e liberdade. A atitude do ministro prejudicará a economia nacional e impedirá o desenvolvimento. Chega!

Vamos protestar para que as mudanças aconteçam de forma natural, com uma resolução do conselho de administração e/ou participação dos acionistas ordinários junto com o grupo controlador. Para mudar tem que ter uma motivação séria, do tipo: resultados financeiros negativos, comportamento do CEO indesejado, etc. e não mudança por intermédio de um jogo político e de interesses espúrios.

População fique atenta a este desmanche de uma das maiores empresa de mineração do mundo totalmente brasileira. Enquanto o jogo político perpetuar é só este resultado que podemos esperar e não o verdadeiro resultado designado na ética e na prosperidade dos negócios, com elevação da produtividade, geração de emprego e renda.

Sou partidário da campanha fique Roger Agnelli no comando da empresa Vale do Rio Doce. Você faz um excelente trabalho e seu público interno e externo aprova sua administração. Seus funcionários lhe reconhecem e seus acionistas também. A conversa do governo é coisa de carochinha, baseada em propagandas enganosas e sem credibilidade, transmitindo inseguranças ao mercado. Temos cérebros, porém raciocinamos. Pensemos nisto!

5 comentários:

Anônimo disse...

Grande Serjão!

Cara achei um absurdo tambem. O Mercado e os resultados da Vale aos seus acionistas é quem vai dizer se o Agnelli deve sair ou não.

O resto é abuso de poder do governo.

Grande Abraço!
Marcos Paulo

Ps.: Veja as minhas postagens nos textos abaixo.

André Luiz disse...

O Cogitado para assumir a Vale não é ligado ao Governo e nem é um politico. O mais cotado a assumir é Tito Martins, Presidente de da Inco, uma subsidiaria da Vale no Canadá. Ou seja, não é um qualquer ou umam marionete do Governo, como vc está alegando no seu texto. Temos que ver que ninguem é insubistituivel e que o cargo é representativo. Agnelli estava lá para representar os principais acionistas da Vale. Sendo assim, ele é mandando por estes, não é dono da empresa. O Bradesco foi um dos que pediu a cabeça dele, só para mostrar que não foi um decisão arbitraria do Governo. Que alias, ele Roger Agnelli representava, já que tinha sido funcionario do Bradesco, onde fez sua carreira.
Alias, ele tentou politizar o seu comando na Vale, ele é quem usou de artificios politicos para premancecer em um cargo representativo. Se fosse feito isso na Presidencia da Republica diriamos que era uma ditadura.
Alias, o caso me lembra o Eurico Miranda no Vasco. Enquanto ele dava retorno, muitos faziam vista grossa, depois que ele usopu de artificios politicos para permanecer, um deles acabando com a oposição no clube, perdeu o apoio de com isso a desvalorização do patrimonio do clube. Hoje, é o clube que mais deve.
A mesma coisa só demonstra que mudanças as vez é benefica. Roger Agnelli dizia ser ele a Vale, se o Presidente falasse isso seria classificado como autoritario, isso pode ser prejudicial com o tempo.
Alias, politica foi o que fez o Agnelli pois muitos de sua diretoria são pessoas ligadas a politicos do DEM e do PSDB. Lula ficou oito anos e não mexeu nessa estrutura, mesmo tendo inimigos politicos na diretoria da Vale. Alias, defender a despolitização da Vale é defender por completo. Tem muitos cargos ali indicados por ex-ministros de FHC e que agora correm o risco de não ficarem lá.
Cuidado com a historia da carochinha de que a Vale é livre de politica. Não é e se grandes orgãos de imprensa defendem Roger Agnelli não é por causa do bom trabalho e sim por financiamento que a Vale dá a estes orgãos. Ou vc acha que a imprensa consegue viver só com o que vende nas bancas??? Por isso é sempre bom ler opiniões, não só da grande imprensa, mas tb de outras fontes, como blogs (como o seu, por exemplo!). Tem muito caroço neste angu que nem sabemos ao certo quem está comendo!!!
As coisas não são só capitalista x socialistas, bem x mal, homem x mulher, etc. a vida não é preto x branco, a vida é cinza e da historia não sabemos a metade. Cuidaod para não ser levado a defender quem pode não ter defesa. Eu não coloco a minha mão no fogo.

André Luiz disse...

Leia a historia de Francis Collins, diretor do projeto Genoma Humano do Governo dos EUA. Veja como ele chegou a ser diretor depois que Jim Watson, um mito em relação ao DNA no mundo, saiu do projeto depois de uma discussão com um diretor do Instituto de saúde dos EUA. E verá que a mudança, mesmo que não seja aceita pela população, mostrou-se benefica. Pois, se hoje temos o genoma humano mapeado e acessivel, de forma gratuita, já que Jim Watson saiu devido a briga em quererem patentear o genoma, foi graças a essa mudança. Leia a historia dele em livros e verá que as coisas não acontecem por acaso. Alias, isso nem existe, não existe sorte. Vc apenas está no lugar certo na hora certa que as coisas tem que acontecer, por isso que existem coisas inexplicavies, pois a vezes foge da nossa logica, mas tem um comando superior.

Sérgio Ricardo disse...

Marcão,
Obrigado pela participação. Eu lhe respondi em outro tópico. Em relação a Vale realmente acredito que temos que olhar a sinalização do mercado. Ele quem avalia os melhores Gestores.

André,
Eu concordo que a Vale, pela relevância que tem, não tem como manter um presidente sem o jogo da política. Sei do controle do Bradesco (peso da balança), BNDESPar e Fundo de Pensão do Banco do Brasil, sendo os dois últimos controlados pelo governo. Diante disso, o governo se apoiou ao Bradesco para realizar o controle da empresa, já que o Bradesco e Banco do Brasil têm parceria e controlam a empresa de cartões de débito e crédito Cielo, conhecida popularmente como Visa. Os dois parceiros se uniram para retirar um pouco da força da parceria entre Itaú e Unibanco, após as duas se fundirem.

O que não posso aceitar é que o governo interfira nas relações do mercado. A Vale é hoje a maior mineradora do mundo e o Agnelli está oito anos recebendo prêmios de melhor executivo do país. Dos dez prêmios do Valor Econômico aos melhores CEO's do ano, o Agnelli já configurou na lisa por nove vezes. Não é pouca coisa.

A Vale hoje é a maior blue chip brasileira privada cotada em bolsa, as outras empresas tem uma participação estatal mais forte, como no caso da Petrobrás.

Dentro deste cenário, eu não posso deixar de reconhecer a força do Agnelli como um grande executivo e se utilizou a oposição do governo para ajudá-lo em sua manutenção é porque o governo está utilizando de armas estatais para controlar a empresa, sem critérios ferramentais utilizados pelo mercado de reconhecer seu trabalho.

Quem está por trás desta tramóia é o maior financiador do governo Lula e que continua financiando o governo petista: Eike Batista. A meta dele é de ser o homem mais rico do mundo no ano de 2020. Ele está agindo nos bastidores da indicação do novo presidente da empresa. O Tito Martins será o presidente temporário no processo de transição, mas não será efetivo depois disso.

Na verdade o Tito assumi porque ele conhece a Vale é de confiança do governo, tanto que na época que o Agnelli promoveu o processo de demissão (auge da crise), ele foi o único que se aliou ao governo e não demitiu os funcionários canadenses e os brasileiros que lá estão.

Não sou contra a mudança de CEO's de empresas desde que seja em um atmosfera do mercado quando apurado os resultados e os objetivos não alcançados pela empresa pelo gestor designado.

Esta é a verdade.

Abraço!
Sérgio Ricardo

André Luiz disse...

Está certo que o Sr Agnelli tem muita competência. Mas, vamos usar o raciocínio de quem sempre disse que o Governo Lula só deu certo pq a economia mundial prosperou e não teve nenhuma crise de abalo global durante sete anos. Pois bem, durante a gestão Agnelli os EUA fizeram duas guerras e a China teve um crescimento espetacular. Esses eventos aumentaram a demanda por commodities, principalmente o minerio de ferro. Lembro-me, durante a aula de economia florestal, que meu professor disse que a guerra do Iraque seria benefica para economia brasileira, pois na reconstrução do país eles necessitariam de uma grande oferta de minerio de ferro, o que é verdade, já que vai ferro na constituição do concreto armado. A China no começo deste seculo e desta decada era uma economia emergente e necessitava cada vez mais de insumos para produzir bens, de tecnologia duvidosa, porem baratos e competitivos no mercado. Hoje, vemos diversos celulares made in China no mercado mundial com preços bastante competitivos.
Como eu não acredito no acaso, pois se eu desse credito a isso, diria que realmente o Lula e o Agnelli tiveram muita sorte. Para mim, não basta ter competencia, tem que estar no lugar certo na hora certa, pois há uma logica superior por tras de tudo. O que eu não aceito é falarem que Lula pegou um tempo de bonança e por isso teve diversos resultados satisfatorios e não usar o mesmo para o Sr. Agnelli, que também pegou a mesma corrente favoravel.
A divergencia entre o governo e o Agnelli começou quando o Agnelli quis demitir funcionarios em 2008 e o Governo Lula buscou meios legias para impedir. Passou 2008 e estamos em 2011 e o Governo mostrou que estava certo. Pois, em momento de crise a corda sempre arrebenta no lado mais fraco e é nessas horas que existe governo para estar do lado de quem será prejudicado. Depois disso, o Sr. Agnelli teve isso como uma ofensa e começou a divergencia com o governo, principalmente quando ele teve que se aliar com a oposição para se manter no cargo. Ninguem em sã consciencia deixaria isso acontecer.
Alias, como vc mesmo falou tinha algo por tras. O Governo por si só não tem mais o poder de mandar na Vale, mas seu principal financiador tem. Eike Batista não financiou só o governo atual, financiou tb a oposição durante a campanha. Mesmo que tenha sido um valor menor, não importa. Se ele financiou é porque depois cobraria a fatura e isso demonstra que seu argumento de que a decisão do governo foi Marxista é a verdadeira historia da carochinha. Ainda mais vc acreditar que essa tramoia toda seja Marxista. Oras, o Eike influenciaria de qualquer jeito, seja PT ou PSDB nessa indicação, conforme vc argumenta acima. Portanto, o que tem de Marxista em um capitalista querer ser o homem mais rico do mundo??? Meio ilogico isso. Este tipo de capitalismo, o capitalismo de resultados sem uma vertente social é que eu sou contra.
Isso só demonstra o que eu sempre disse para vc e vc teima em acreditar. Existe um grupo por tras de todas as decisões Governamentais, seja dentro do Congresso (bancada ruralista é um exemplo, como tambem a bancada da escola particular), seja nos Tribunais ou no proprio executivo. Quem financia é que manda e isso não é só no Brasil não, é no mundo todo. Ou vc acha que a Guerra no Iraque foi para procurar armas de destruição??? Claro que não, há interesse que nem mesmo imaginamos. A visita do Obama é só mais um desses sinais. Mestre das armas é a mais pura verdade.