terça-feira, 29 de março de 2011

Petrobrás, o petróleo e o bolso do brasileiro

O assunto começou de um e-mail que recebi ontem. A mensagem descrevia uma estratégia montada por um economista para forçar as ações de mercado em relação ao preço da gasolina. Deixo na íntegra o e-mail e as mensagens trocadas com o meu amigo William Pimenta sobre o assunto que é um pouco complexo. Lembro que o texto é um pouco extenso.

Ele encaminhou a seguinte mensagem na íntegra a todos de sua lista de contato:

Conversa encaminhada
Assunto: DIMINUIR VALOR DA GASOLINA AGORA: MAR / ABR /MAI – 2011 (IMPORTANTE)

GASOLINA (GNV, DIESEL e ÁLCOOL)
Como poderemos baixar os preços?
Você lembra do Criança Esperança? A UNICEF e a Rede Globo ‘abriram as pernas’...
Foi a força da Internet contra uma FÁBRICA DE DINHEIRO que DESCOBRIU-SE nunca chegar a quem de direito.

Então continue a ler. Não deixe de participar, mesmo que você HOJE não precise abastecer seu carro com gasolina! Mesmo que você não tenha carro, saiba que em quase tudo que você consome, compra ou utiliza no seu dia-a-dia, tem o preço dos transportes, fretes e distribuição embutidos no custo e conseqüentemente repassados a você.

Você sabia que no Paraguai (que não tem nenhum poço de petróleo) a gasolina custa R$ 1,45 o litro e sem adição de álcool. Na Argentina, Chile e Uruguai que juntos (somados os 3) produzem menos de 1/5 da produção brasileira, o preço da gasolina gira em torno de R$ 1,70 o litro e sem adição de álcool. QUAL É A MÁGICA?

Você sabia, que já desde o ano de 2007 e conforme anunciado aos "quatro ventos" O Brasil já é AUTO-SUFICIENTE em petróleo e possui a TERCEIRA maior reserva de petróleo do MUNDO.

Realmente, só tem uma explicação para pagarmos R$ 2,89 o litro: a GANÂNCIA do Governo com seus impostos e a busca desenfreada dos lucros exorbitantes da nossa querida e estimada estatal brasileira que refina o petróleo por ela mesma explorado nas "terras tupiniquins"
CHEGA!

Se trabalharmos juntos poderemos fazer alguma coisa. Ou vamos esperar a gasolina chegar aos R$ 3,00 ou R$ 4,00 o litro? Mas, se você quiser que os preços da gasolina baixem, será preciso promover alguma ação lícita, inteligente, ousada e emergencial. Unindo todos em favor de um BEM COMUM!

Existia uma campanha que foi iniciada em São Paulo e Belo Horizonte que nunca fez sentido e não tinha como dar certo. A campanha: "NÃO COMPRE GASOLINA" em certo dia da semana previamente combinado não funcionou.

Nos USA e Canadá a mesma campanha havia sido implementada e sugerida pelo próprios governos de alguns estados aos seus consumidores, mas as Companhias de Petróleo se mataram de rir porque sabiam que os consumidores não continuariam "prejudicando a si mesmos" ao se recusarem a comprar gasolina. Além do que, se você não compra gasolina hoje... Vai comprar MAIS amanhã. Era mais uma inconveniência ao próprio consumidor, que um problema para os vendedores.

MAS houve um economista brasileiro, muito criativo e com muita experiência em "relações de comércio e leis de mercado", que pensou nesta idéia relatada abaixo e propôs um plano que realmente funciona.

Nós precisamos de uma ação enérgica e agressiva para ensinar às produtoras de petróleo e derivados que são os COMPRADORES que, por serem milhões e maioria, controlam e ditam as regras do mercado, e não os VENDEDORES que são "meia-dúzia". Com o preço da gasolina subindo mais a cada dia, nós, os consumidores, precisamos entrar rapidamente em ação!

O único modo de chegarmos a ver o preço da gasolina diminuir é atingindo quem produz, na parte mais sensível do corpo humano: o BOLSO. Será não comprando a gasolina deles! MAS COMO??!

Considerando que todos nós dependemos de nossos carros, e não podemos deixar de comprar gasolina, GNV, diesel ou álcool. Mas nós podemos promover um impacto tão forte a ponto dos preços dos combustíveis CAIREM, se todos juntos agirmos para FORÇAR UMA GUERRA DE PREÇOS ENTRE ELES MESMOS. É assim que o mercado age! Isso é Lei de Mercado e Concorrência.

Aqui está a idéia:
Para os próximo meses (março/abril/maio de 2011) não compre gasolina da principal fornecedora brasileira de derivados de petróleo, que é a PETROBRÁS (Postos BR).

Se ela tiver totalmente paralisada a venda de sua gasolina, estará inclinada e obrigada, por via de única opção que terá, a reduzir os preços de seus próprios produtos, para recuperar o seu mercado.

Se ela fizer isso, as outras companhias (Shell, Esso, Ipiranga, Texaco, etc.) terão que seguir o mesmo rumo, para não sucumbirem economicamente e perderem suas fatias de mercado.
Isso é absolutamente certo e já vimos várias vezes isso acontecer! CHAMA-SE LEI DA OFERTA E DA PROCURA.

Mas, para haver um grande impacto, nós precisamos alcançar milhões de consumidores da Petrobrás.

É realmente simples de se fazer!

Continue abastecendo e consumindo normalmente! Basta escolher qualquer outro posto ao invés de um BR (Petrobrás). Porque a BR? Por tratar-se da maior companhia distribuidora hoje no Brasil e consequentemente com maior poder sobre o mercado e os preços praticados.
Mas não vá recuar agora... Leia mais e veja como é simples alcançar milhões de pessoas!

Essa mensagem foi enviada a aproximadamente trinta pessoas. Se cada um de nós enviarmos a mesma mensagem para, pelo menos, dez pessoas a mais (30 x 10 = 300) e se cada um desses 300 enviar para pelo menos mais dez pessoas, (300 x 10 = 3.000), e assim por diante, até que a mensagem alcance os necessários MILHÕES de consumidores! É UMA "PROGRESSÃO GEOMÉTRICA" QUE EVOLUI RAPIDAMENTE E QUE VOCE CERTAMENTE JÁ CONHECE!

Quanto tempo levaria a campanha?

Se cada um de nós repassarmos este e-mail para mais 10 pessoas A estimativa matemática (se você repassá-la ainda hoje) é que dentro de 08 a 15 dias, teremos atingido todos os presumíveis 30 MILHÕES* de consumidores da Petrobrás (BR),
(fonte da ANP - Agencia Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) Isto seria um impacto violento e de consequências invariavelmente conhecidas... A BAIXA DOS PREÇOS.

Agindo juntos, poderemos fazer a diferença. Se isto fizer sentido para você, por favor, repasse esta mensagem, mesmo ficando inerte.
PARTICIPE DESTA CAMPANHA DE CIDADANIA ATÉ QUE ELES BAIXEM SEUS PREÇOS E OS MANTENHAM EM PATAMARES RAZOÁVEIS! ISTO REALMENTE FUNCIONA.
VOCÊ SABE QUE ELES AMAM OS LUCROS SEM SE PREOCUPAREM COM MAIS NADA! O BRASIL CONTA COM VOCÊ!

Eu respondi:
Existiria esta lógica de demanda e oferta se os preços fossem flexíveis. Como a Petrobrás tem o monopólio natural das reservas de petróleo brasileiro e importamos gasolina, pois nossas refinarias não refinam o petróleo extraído em solo brasileiro devido sua densidade, isso justifica a importação de gasolina da OPEP.

Como o petróleo é uma commodity e as commodities estão valorizadas devido à enxurrada de dólares para recuperação da economia americana, sendo o petróleo também um insumo para o meio produtivo, temos inflação em vários setores da economia (o que acontece com o Brasil atualmente). Diante disso, não imagino um cenário tão barato de combustível nos próximos meses.

A culpa é a manutenção do monopólio da Petrobrás, sendo conduzido pelo estado brasileiro, e o controle do preço de mercado.

A solução para termos a lei de Say funcionando, ou seja, oferta e demanda descrita acima é privatizar a Petrobrás e deixar o mercado determinar o preço.

Só teremos um sistema justo de preços alocando a demanda e oferta se existir a privatização da Petrobrás e estimularmos a concorrência privada. Fora isso pode fazer milhões de campanhas e não vão dar em nada!

Esta é a verdade.

O William retrucou:
Ok! Sua posição é justa, mas não percebe que o nosso país tem uma produção muito grande de petróleo e nós, brasileiros, tendo que pagar um absurdo pelo combustível de nossos veículos! Inaceitável! Não acha?

Se não percebe a gasolina do DF é muito cara, pois se for às cidades ao redor encontrará o preço da gasolina em até R$ 1,00 real mais barata. Puxa esses absurdos me leva a perceber que o nosso país é muito corrupto!

Olha, não entendo muito de economia, mas se conseguirmos mobilizar uma quantidade de pessoas para não abastecer nos postos PETROBRÁS, com certeza surtiria algum efeito.

Não precisamos esperar acontecer uma privatização da Petrobrás, temos que agir antes que esses burgueses, filhos de um p..., resolvem aumentar novamente os preços e colocar a culpa novamente na safra da cana de açúcar.

Atenciosamente,
William Pimenta

Eu respondi:
A questão do etanol não é culpa do monopólio da Petrobrás e sim da COSAN.

Em relação ao preço do combustível ser mais caro no Distrito Federal em relação ao entorno é conseqüência dos tributos no DF serem mais caro em relação a outros estados. Aqui a alíquota de ICMS é 17%, enquanto São Paulo, se não me engano, é 9%. Isto impacta diretamente no preço deste insumo.

A elevação dos preços no setor de serviços, principalmente táxi, se deve aos insumos e derivativos do petróleo. Por exemplo o plástico, encarece o cano PVC na construção civil e eleva os preços dos imóveis, além do choque de demanda. Isto vem em cadeia. Nosso estado é caro e quer controlar a economia por intermédio do monopólio.

Outra questão é que a distribuição de gasolina no Brasil é realizada pela BR Distribuidora, que abastece todas as bandeiras.

Desta forma, se você deixar de abastecer em postos de bandeira BR estará passando os custos para os clientes da BR Distribuidora, encarecendo mais ainda este produto. A ideia é privatizar a Petrobrás e elevar o nível de competitividade entre as bandeiras. As commodities não reduzirão seus preços em curto prazo, pois a crise não foi estancada por completo.

Temos também o problema do Japão, que em breve receberemos a fatia de elevação na taxa de juros, já que a economia japonesa é uma credora do déficit americano e precisará de liquidez imediata para recuperar a economia de seu país.

Assim sendo, os Estados Unidos deverão elevar sua taxa de juros real, que hoje está em 0,25% a.a., e o Brasil fará o mesmo para rolar o déficit do estado brasileiro. Culpa do governo do Sr. Luís Inácio que gastou a mais do que devia. Então não sinta tanta confiança nesta estratégia.

Abraço!
Sérgio Ricardo

Participem também deste debate.

5 comentários:

André Luiz disse...

Nem tudo é tão simples quanto parece ser. Privatização, a PETROBRAS é um SA, ou seja, tem capital privado nela e procura com isso o lucro no mercado. Se o fim do monopolio é a privatização da maior empresa do Brasil, garanto que não será esse o fim do Monopolio. Quer um exemplo de uma empresa que em breve terá o Monopolio Mundial na produção de alimentos??? A Monsanto daqui a alguns anos mandará e desmandará em preços e não dará aos nós, consumidores, a opção da escolha. Sabe pq? Pelo simples fato de que ela tem o Monopolio genetico e a tecnologia do transgenico. Sabe como ela conseguiu este monopolio? Foi quando o Governo dos EUA abriu mão, dele como estado, de investir em pesquisa de genoma passando isso para iniciativa privada, claro que do genoma humano foi uma luta em diversos ramos sociais para não ter o genoma patenteado por uma empresa privada. Alias, o acervo publico do genoma humano pertence ao governo dos EUA, um monopolio dele.
Pois bem, como foi dado bandeira branca para Monsanto ter pesquisa geneticas e produzir semesntes transgenicas o que está acontecendo é a invasão dessas sementes em plantios convencionais, pois não há controle sobre a reprodução de plantas, muitos se fazem por uso de insetos e outro pelo proprio ar.
Acontece que quando plantios convencionais entram em contato com DNA transgenico tronam-se transgenico tb, pela logica da genetica. A Monsanto tem ganho nos EUA e em muitas partes do mundo indenizações desses produtores rurais pelo uso da tecnologia dela.
Ou seja, o Governo dos EUA liberaram o estudo do Genoma de plantas alimenticiais para iniciativa privada e criou um monstro que está abocanhando o mundo.
Por isso que eu digo, nem sempre as soluções são tão simples assim. Pois, a ganancia não é só do Governo. A iniciativa privada procura sempre acabar com a concorrencia, um exemplo disso é a empresa de sucos chilena Sucos del Valle e a empresa brasileira Sucos mais, ambas pertencem ao grupo Coca-Cola, ou seja, Monopolio na produção de refrigerantes e sucos. Vc pode dar o exmplo da Pepsi, eu digo que é outra que tomou o mercado mundial. O guaraná Antartica que tomamos é da Pepsico, como também os biscoitos da Elma Chips. Ou seja, não é um monopolio, mas sim um cartel, pois os preços são similares e juntas têm 95% do mercado mundial. Unilever então, um conglomerado de empresas que visa o monopolio, já que juntas abocanham 85% do mercado.
O que eu sou a favor é de fazer como fizeram com o setor eletrico, abrir o monopolio da PETROBRAS e não privatiza-la. Aí sim, aumentaria a disputa interna. Privatizar a PETROBRAS é um dia ve-la em um outro monopolio, só que Mundial. Aí sim veremos o preço da gasolina irem as nuvens.

André Luiz disse...

Um livro bom que mostra o que eu estou falando é "O Mundo segundo a Monsato" de Marie Monique Robin da editora Radical Livre. Pode ser adquirido na livraira cultura.

Sérgio Ricardo disse...

André,
Todo o monopólio tem ajuda do estado para existir. Você deu um excelente exemplo do Monsanto (com ajuda do estado americano) se tornou monopólio na produção de sementes transgênicas.
A coca-cola quando comprou a suco mais e o del valle ela está por uma opção dada pelo mercado, que é a opção de compra de ações ordinárias dessas empresas para controle. Não vejo erro nisso. O problema estaria se a coca-cola comprasse o governo e proibisse a geração de novas empresas. Se não me engano, o guaraná antartica é da AMBEV e não da pepsi.
O papel do estado é corrigir as falhas de mercado e não munir o mundo de monopólios que desestabiliza a economia como um todo.

Abraço!
Sérgio Ricardo

Anônimo disse...

"Realmente, só tem uma explicação para pagarmos R$ 2,89 o litro: a GANÂNCIA do Governo com seus impostos e a busca desenfreada dos lucros exorbitantes da nossa querida e estimada estatal brasileira"

Sergio,

Acho que vc´s não comentaram sobre o impacto do aumento da demanda por carros no preço dos combustíveis. Além disso, o crescimento da economia, que também aumenta a demanda por combustíveis, dado que o país não tem muitas alternativas para desovar sua produção a não ser por rodovias através dos caminhões e outro fator...

Então, o que acha desses pontos?

Abraço!
Marcos Paulo

Sérgio Ricardo disse...

Excelente análise Marcão.
Acho que seu comentário foi direto ao centro da questão. Ainda estamos atrasados em escoar a produção por rodovias.

Países desenvolvidos têm excelentes frotas aéreas, que reduz tempo e explora mais o país em relação à circulação de mercadorias, produtos e pessoas. Isto desenvolve melhor o perfil cultural e social de sua população.

Obrigado pela participação e excelente análise.

Forte abraço!
Sérgio Ricardo