quinta-feira, 29 de março de 2012

Dois mundos


Quando eu era adolescente eu gostava de escrever poesias, principalmente para me declarar a uma nova paquera e também criticar a situação social de nosso país. Eu tinha uma banda de rock e a utilizava para criar músicas que cantasse o “grito” das pessoas que eu julgava serem desesperadas.

Hoje, após 15 anos, mudei algumas percepções de minha visão sobre o mundo. Naqueles tempos eu acreditava que mais obrigatoriedades por parte do estado fariam com que existisse o ajuste e a inclusão dos mais pobres na sociedade.

Alguns desafios éticos me fizeram perceber que a melhor resposta para a sociedade está nas premissas individuais, no respeito das escolhas de cada um, na liberdade de opção, na aceitação dos erros e, principalmente, no reconhecimento dos méritos.

Muitos jovens, assim como eu em meus tempos de ensino secundário em escola pública, acreditam que um empreendedor bem sucedido distorce as relações sociais e geram a pobreza da sociedade por manter em seu sistema operacional pessoas que fazem mais do mesmo todos os dias. Na verdade é justamente o contrário!

O empreendedor realiza uma organização social simplesmente ao defender o seu negócio. Como um agente racional, ele optará pelas melhores cabeças ao seu lado para que sua renda e patrimônio aumentem ao passar dos anos. Da mesma forma ocorrerá com os funcionários que entendem esta lógica. Farão com que o dono do capital atinja seu objetivo de forma ética e clara, pois isto será traduzido em melhores salários e uma melhor qualidade de vida.

Pessoas buscando o melhor para suas vidas fazem muito para a sociedade em geral. O empreendedor, buscando uma melhor qualidade de vida, desempenhará o melhor trabalho possível para seus negócios alavancarem e isto criará melhores ofertas de serviços e produtos a maior gama de pessoas possíveis.

O trabalhador fará com o negócio de seu chefe cresça para que ele absorva a maior parcela do capital disponível na produção de bens e serviços quando este atrair mais clientes. Este fator é o que os economistas chamam de elevação da produtividade. Você desempenhar um bom serviço com o mínimo do custo de recursos escassos disponíveis.

Quem balizará o sucesso empresarial? O consumidor. É ele que tem a opção de escolher o que é melhor para si. Quanto mais opções disponíveis ele tiver, melhor será o ajuste social e a diminuição da pobreza.

Entendendo esta lógica eu me tornei um liberal convicto. Eu quero que minha família tenha liberdade de opções, opiniões e desejos. Quero que a sociedade conheça, de forma justa, todas as opções disponíveis para o melhor ordenamento social e escolham aquele que contemple a liberdade da maioria. Quero mais empreendedores no atendimento dos consumidores. Quero uma sociedade justa e livre. Que respeite os contratos e não deixe de valorizar o mérito individual, pois é ele quem faz toda a diferença!

Para finalizar, eu elaborei uma poesia com base na nova crença que eu tenho e lembrando um pouco dos velhos tempos debaixo de uma árvore, imaginando o desenho feito pelo vôo dos pássaros.

Dois mundos

Por que você culpa os outros pelas escolhas de sua vida?
Você que tem tudo e ver que não tenho nada deveria se preocupar
O meu caminho é um rumo sem ida
Não faz sentido nenhum eu lhe dar

São as escolhas, elas que fazem sermos o que somos
Não podemos condenar os outros por aquilo que não fizemos
Acreditando que tudo terá um fim satisfatório
Sem um esforço ou trabalho dedicado
Você me culpa pelo seu atraso

Se hoje estou assim
O assado foi você que buscou
Não me culpe por nada que eu fiz
As minhas escolhas foram feitas no meu planejamento
As suas eu não conheço o enredo
Cabe a você somente aceitá-las

São dois mundos
Duas escolhas
Duas vidas...
Qual a sua alegria?

O mesmo mundo que eu piso
Do meu trabalho eu dedico
A você é ofertado o mesmo
Por que não muda o disco?

São dois mundos
Duas escolhas
Duas vidas...
Qual a sua fantasia?

5 comentários:

Gil Rômulo disse...

Don Gilzão
Nós tem muitos sonhos,muitas perspectivas,mas o tempo vai passando e aqueles sonhos e apreensões de conquistas vão se dissipando no cotidiano tabelado e pré-definido,ta na hora de viver, de fazer,de ser ,é preciso ter os 3 F's,Foco para ver a frente que são apenas alguns degraus nessa pequena escadaria da vida e preciso ter Força pra acordar bem cedinho e ir a luta...como uma frase que sempre bateu forte na minha mente e no meu coração"O mundo e feroz e o valente não se entrega..." frase essa que a minha me disse quando entrei na guerra.O principal de todos esses F's a Fé que todo aquele seu esforço será recompensado...

Anônimo disse...

Perfeito o texto, só faço uma ressalva, neste trecho: "Quero uma sociedade justa e livre. Que respeite os contratos e não deixe de valorizar o mérito individual, pois é ele quem faz toda a diferença!"

Quando isto existir, seremos poeiras cósmicas, pois no mundo de hoje onde todos puxam os tapetes para nos derrubarem, onde na nossa frente sorriem e quando damos as costas nos esfaqueiam...sei não...

Espero que teu trecho torna-se realidade...

Abraço

Rodrigo

Anônimo disse...

Rodrigo vc tem razão, mas não deixaremos nos abater pelas covardias dos outros. Com já disse o Sérgio, " Pessoas buscando o melhor para suas vidas fazem muito para a sociedade em geral"

Abraços.

Edvaldo Frazão

Anônimo disse...

Sergio peço lhe permissão para publicar este poema na minha pagina do facebook.!!!

Fico no aguardo.

Edvaldo Frazão

Sérgio Ricardo disse...

Grande Edvaldo, com certeza meu amigo. Você tem carta branca.

Abração!
Sérgio Ricardo