sexta-feira, 8 de abril de 2011

A minha ideologia ética

Quem leu o livro “A Revolta de Atlas”, de Ayn Rand, deve imaginar o mundo que vivemos atualmente. Na obra a autora descreve uma sociedade totalmente governada por pessoas que demonizam as liberdades individuais e criticam os méritos de cada um em particular. Estabelece uma verdadeira aula de ética ao apresentar que os méritos e as escolhas se deve a cada individuo e não ao bem social estipulado por regras de alguns que utilizam da força para retirar garantias individuais e estabelecer diretrizes coletivas.

Quando uma pessoa atinge o nível de maturidade, ela parte em busca da sobrevivência. Diante disso, ela demandará uma nova linha de consumo desde os alimentos às vestimentas. Imaginemos então dois indivíduos de mesma idade, mesma formação, criação familiar equivalente e são ingressantes no mercado de trabalho numa função de trabalho idêntica em uma mesma empresa, consequentemente percebendo os mesmos salários.

Os dois jovens que atingiram a maturidade são possuídos de sonhos. Só que um optou por ter uma vida mediana e estudou o necessário para assumir funções compatíveis com o tamanho de seu mundo. O outro não se contém em ser apenas um e buscou absorver mais as informações que foram passadas em sala de aula e procurou uma melhor especialização ao ensinamento empregado.

Após um ano de trabalho o indivíduo que se esforçou mais para aprender foi designado à função de gerente e se tornou responsável pelas atividades prestadas pelo colega de faculdade, que agora se tornou seu subordinado. Desta forma, o salário inicial de ambos era X e, depois de um ano, o salário do subordinado era 1,2X, enquanto o do gerente era 5X. Qual a culpa que o funcionário que se tornou gerente tem se o seu colega de faculdade, agora de profissão, não conseguiu acompanhá-lo? Nenhuma.

Este é um exemplo simples dos méritos individuais e os sonhos alocados na visão de mundo de cada um. O funcionário que almejou uma vida mediana atingiu após um ano, enquanto o que se especializou e que buscou o crescimento não se contentará com o cargo de gerente. Parte daí um problema. O funcionário que virou subordinado do colega de faculdade tentará várias maneiras credenciar aos superiores as injustiças geradas contra ele, afirmando que ele tem o mesmo currículo e a mesma capacidade do, agora, chefe imediato. Denegrir a imagem do colega chefe é a primeira necessidade para tirar a limpo a injustiça proferida consigo.

Caso o leitor se encaixou no exemplo acima, assumiu algum cargo de relevância e sofreu com boicotes de algum subordinado, pensará qual o pecado foi cometido por ser mais eficiente. Mas tem pessoas que pensam que o mérito individual é um egoísmo, logo um problema a ser eliminado. Para esses que pensam assim, note qual a posição social que essas pessoas assumem. Encontramos às vezes pessoas “destaques” que pensam assim, mas elas se tornam “relevantes” devido à condição social da pirâmide que acreditam subir sem o “egoísmo” do mérito individual e ascendem com uma ajuda coletiva utilizando principalmente da força.

A força tratada aqui é a força do estado. Só ele ascende indivíduos sem méritos a posição de destaque. Nenhum governante determina a liberdade individual, apenas o indivíduo pode escolher onde quer empregar sua liberdade.

Para elevar pessoas sem méritos são necessárias duas coisas: primeiramente mentir. A mentira é a pior de todos os males, já que ela engana e corrompe as pessoas pelas suas necessidades, principalmente as básicas. Segundo prometer. A promessa dada que o indivíduo pode garantir suas necessidades sem esforço, insurgindo em outros cidadãos, com base na força, a geração de recursos para garantir a farsa de manter os mais necessitados com direitos não alcançados, desestimulando quem gera a riqueza a prover quem não a produz.

Atualmente percebemos que muitos empregos são gerados e não existem pessoas capacitadas para assumi-los. A culpa é das pessoas que estão produzindo a paga da esmola aos que não tem o que comer?

As ideias da esquerda são direcionadas a alijar a liberdade individual, como se ela fosse algo pejorativo, e a conduzi-la ao bem coletivo. Aos mais necessitados o que mais conseguir gerar. Ou seja, produza e dê mais aos que nada fazem!

O imposto é uma forma de força estatal. Os lucros do capitalista, que teve no tempo uma razão para imprimir seu pensamento, criar algo necessário e vender o bem produzido, não pode ser de todo direito seu, ele é carregado de impostos para pagar o estado. O mérito é desprezível. Quando o empresário atinge seu objetivo, pelo senso comum ele é um ser abominável, que não tem coração e que sua razão é o maior dos pecados.

Quando dois seres humanos se amam e não devem nada a ninguém, principalmente a sociedade e a igreja, são abolidos socialmente e são tachados como exemplos de negação. Vários argumentos desprezíveis são utilizados para denegrir esse amor.

A liberdade é a premissa básica para o homem ser reconhecido como homem. Cada um define sua vida e sua história. Não são as réguas de outros seres que determinam o que se é ou o que se deve ser. Ninguém pode ser torturado por outro só porque pensa diferente e ver o mundo de maneira distinta. A cada um é dado o que lhe pertence!

5 comentários:

André Luiz disse...

Sergio,
No dia em que vc abrir sua mente para uma visão mais ampla do Mundo e não só de um lado da moeda, vc verá que muitas coisas que hoje vc prega não é condizente. Vc prega a liberdade, que a verdadeira democracia só virá com liberdade economica, etc. essa é sua visão ocidental, mas e sua visão oriental do mundo?
Se vc prega a liberdade, tem que respeitar que pensa o contrario. O individuo é importante, mas ele faz parte de um coletivo. Hoje bons gerentes são aqueles que compartilham seus meritos com os seus subordinados, ou seja, com o grupo. Competencia individual está em processo de extinção na Europa. O Coletivo não é ruim. É só ver o que está acontecendo com o mundo, pessoas conectadas e cada dia mais isoladas, gerando potenciais psicopatas, sem conhecimento dos vizinhos. Tem que se valorizar o individuo, mas o coletivo também é muito importante, pois estamos vivendo em uma sociedade.
Quando eu digo que vc só vê uma lado da moeda é isso. Vc está sempre colocando uma visão ocidental do mundo, como se todos vivessemos em competição, cada um por si. Quando vc estudar a filosofia oriental, por exemplo a semita, verá que a valorização do coletivo é importante. Quer um exemplo: No Holocausto nazista, por que foram mortos mais de 5 milhões de judeus? Um judeu tem a seguinte filosofia, se vc faz mau a um individuo, fez mau a toda a humanidade. Por isso, eles se uniram até mesmo no holocausto, por que eles são uma unidade, eles valorizam mais o coletivo (Israel) do que o individuo, por isso quando vc prejudica a um, prejudica a todos e todos estarão lá em favor do prejudicado. Por que vc acha que Schindler até hoje é lembrado pelos judeus? ele salvou da morte 1000 individuos, quem salva uma vida, salva toda a humanidade.
Em Israel existem comunidades que querem viver livre do estado, eles vivem em comunidades coletivas conhecidas como Kibutzim, onde tudo que é produzido lá é para o coletivo, pois eles acreditam que é assim que viviam os antigos hebreus. Quem conhece a historia do povo hebreu sabe que eles viviam pela comunidade, por isso sempre foram alvo de preconceito, e ainda são. Se os caras querem viver no coletivo, que mal faz a vc? Nenhum, eles querem viver assim. Varias comunidades no Brasil tem seguido este exemplo, em Pirinopolis, Alto Paraiso, conhecidas como ecocomunidades, sempre foram alvo de preconceito. Mas, se os caras querem viver assim, são livres para isso, ou não? Vc prega a liberdade, mas prega de uma forma que tem que ser do jeito que vc acha que tem que ser e ponto. Se todos gostassem da cor verde a vermelha deixaria de existir??? O mundo tem que ser diverso e temos que respeitar a diversidade, essa sim é a verdadeira liberdade, o respeito.
Agora, vc sempre está mau dizendo da esquerda, como se tudo de ruim que acontece no Brasil e no Mundo fosse por causa da esquerda. Pois bem, uma visão simplista da vida sempre acusa um lado. Veja, se a esquerda não tivesse seu valor, os gays hoje seriam mortos por serem gays, os negros jamais poderiam ser livres, já que são descendentes de escravos, e o pobre jamais poderia ter acesso a internet, pois isso é para quem pode pagar. Não, o mundo tem que se tornar cada vez melhor, para todos e não só para alguns. Se vc é a favor da meritocracia tem que ser favoravel a inclusão também, para podermos desenvolver uma sociedade sem violencia, onde todos possam ser bons gerentes e não alguns. O individuo é só um lado da moeda a sociedade é o outro e ambos pertencem a mesma moeda. Esquerda e Direita sempre existiram e sempre existirão, as duas fazem parte de uma unidade muito maior. Olhem além do aparente e verá a VERDADE. Saberá que uma visão simplista só pode ver um lado, nunca um todo.

André Luiz disse...

Não somos nõs que temos que dizer como o mundo tem que ser. Se queremos uma sociedade mais justa, temos que ser justo para com a sociedade, se queremos que a liberdade prevaleça, temos que ser justos e valorizar o respeito a diversidade. Se quisermos o mundo melhor, temos que ser melhor a cada dia.

Sérgio Ricardo disse...

André,
Você tem certeza que leu o meu artigo?

Abraço!
Sérgio Ricardo

André Luiz disse...

Tenho sim, vc é que não entendeu o meu ponto de vista. O que eu quiz dizer é que ninguem vence sozinho, tem sempre alguem ao seu lado. Seja família, seja amigos, enfim a existe uma causa social para o sucesso pessoal.
Passe a ver o mundo assim e entenderá o que eu escrevi.
Vc colocou que a liberdade individual tem que sobrepor a coletiva. Oras, o individuo vive em uma sociedade e o merito nunca é uma coisa solitaria. Eu mesmo, se hoje sou o que sou devo a muitas pessoas, inclusive a minha família (soceidade).
Olha o que vc posta: "Ou seja, produza e dê mais aos que nada fazem!", ou seja, o cara tá passando fome, não produz nada, tem mais é que morrer mesmo e o estado (digamos unidade da federação) não tem que fazer nada por ele. Muitas vezes esses que "nada fazem" lavam roupas, são vaqueiros, são diaristas para ganhar no final do mês algo abaixo do salario minimo e tentar com isso dar uma vida melhor aos seus filhos. Se quiser, dou exemplos dentro da nossa família.
Olha o que vc falou tb: "O imposto é uma forma de força estatal. Os lucros do capitalista, que teve no tempo uma razão para imprimir seu pensamento, criar algo necessário e vender o bem produzido, não pode ser de todo direito seu, ele é carregado de impostos para pagar o estado. O mérito é desprezível." Cara imposto sempre existiu e sempre irá existir, não tem logica o que vc escreveu. Oras, os ricos pagam impostos altissimos nos EUA para o governo melhor gerir os programas sociais, ou vc acha que isso não existe nos EUA! Imposto quando usado para o bem estar social é um preceito biblico, ou vc acha que o dizimo é o que?
Vc tem que ver a vida como um integridade, ai sim vc entenderá o que eu escrevi. Enquanto vc tiver um véu na sua cara achará que tudo não passa de uma disputa entre polos.

André Luiz disse...

Alias, o imposto tem que ser progressivo, até pq quem tem mais tem que pagar mais. Isso sim é justiça.
Falei do dizimo, pois bem, é um preceito biblico. Está lá, que é obrigação deixar 10% de tudo que vc tem para Tzedaká (justiça). Ou seja, se vc plantou 100 hectares de feijão, 10 hectares vão para Tzedaká.
Leia mais sobre Tzedacá e verá que o capitalismo sem uma visão social entrará em colapso.
Texto acima, vc falou que Mandela uniu a Africa do Sul, e neste texto vc está se contradizendo.
Mais sobre Tsedaká:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Tzedak%C3%A1