terça-feira, 7 de junho de 2011

Quando o Brasil entenderá o que é educação?

2 comentários:

Anônimo disse...

Sergio,

Parece-me que um professor para lecionar em uma universidade nos EUA não precisa necessariamente de diploma de nível superior... Já ouviu falar disso? Lá o critério realmente é o da meritocracia.

Veja o perfil deste brasileiro:

Olavo de Carvalho,

Estudou Filosofia no Conjunto de Pesquisa Filosófica (Conpefil) da PUC-RJ. Embora já tendo apresentado dois trabalhos de conclusão do curso; "Estrutura e Sentido da Enciclopédia das Ciências Filosóficas de Mário Ferreira dos Santos" e "Leitura Analítica da 'Crise da Filosofia Ocidental' de Vladimir Soloviev", não chegou a graduar-se por causa da misteriosa extinção da entidade logo após o falecimento de seu fundador e diretor, Pe. Stanislavs Ladusans [15].

Infelizmente o perdemos para os EUA.

Olavo de Carvalho declarou em seu programa que em dezembro de 2009 recebeu do governo dos Estados Unidos o visto especial de residência EB-1,[20] o qual é concedido a estrangeiros com "habilidade extraordinárias" na área intelectual, artística ou científica. Esse visto dá ao estrangeiro o direito de residência permanente nos Estados Unidos.[21]

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Olavo_de_Carvalho

Sérgio Ricardo disse...

Pois é. Perdemos excelentes cérebros porque não valorizamos aqui no Brasil. O nível de burocracia é excessivo que para ser tornar professor universitário. Por isso temos vários engenheiros de obras prontas.
Infelizmente é uma realidade brasileira. Importamos todo o conhecimento porque não sabemos agregá-los ao nosso, pois o nível burocrático impede que a relação mútua aconteça. Desta forma, não alteramos nossa realidade!

Abraço!
Sérgio Ricardo