sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Mirar em bandidos marginais é fácil. O buraco é mais embaixo!

Todo mundo acompanha ultimamente o que está acontecendo no Rio de Janeiro. O que analiso disso tudo é que matar os bandidos marginais é mais fácil para o governo do que interromper de fato esse círculo de crimes.

O tráfico não acabará com a morte desses bandidos, apenas será uma resposta à sociedade que todo sistema está sobre controle, quando não está.

Não estou defendendo os marginais que pegam em armas e colocam em risco várias pessoas que estão às margens da sociedade e que não tem um amparo social digno do estado e dos agentes privados. Coloco em questão os filhos das classes sociais dignas que financiam esse crime e que estão em clínicas enquanto os "imundos" estão em Bangu cumprindo sentenças máximas.

Coloco aqui o questionamento: as Unidades de Polícias Pacificadoras, as UPP's, constituem progresso social e econômico para as pessoas simples e inocentes quando o estado ocupa o território? As famílias estarão mais seguradas com a ação do estado? O crime será combatido de fato e de direito que constitua uma sociedade pacífica e livre?

Acabar com o crime é eliminar a indústria e não os operários chãos de fábrica que opera para os capitalistas do tráfico preexistir nesse crime.

O buraco é mais embaixo e o endereço é outro e não somente os morros!

Clique aqui e veja o que acho desse assunto com mais profundidade.

9 comentários:

Ensino,religião e política. criticas. disse...

Paternalismo.

Este negocio de paternalismo e coisa de governo populista é para mostrar que são bonzinhos. Para os que não entendem de política eles parecem bonzinhos, mas na verdade, estão e comprando voto de uma maneira velada. Se o governo fosse bom mesmo, não agiria assim dando esmola para os mais pobres. O interessante: em primeiro lugar seria, fechar o ralo por onde o dinheiro dos impostos escoa direto para as contas bancarias dos corruptos, corruptos estes que falam sempre nos julgamentos que não sabem de nada, não fizeram nada, são uns verdadeiros santinhos. Com o ralo fechado iria sobrar mais dinheiro para investir em programas sociais, com isso geraria mais empregos. Com a geração de mais empregos as pessoas teriam o seu próprio salário e não dependeriam mais do bolsa família. Recuperando com isso sua dignidade e poderia andar de cabeça erguida sem o constrangimento de ser um necessitado um peso para o estado.

Paulo Luiz Mendonça. Autor do livro Crônicas indagações e teorias. Editora Scortecci.

http://pauloluizmendonca.judblog.com

Ensino,religião e política. criticas. disse...

O marginal e o Grande Rio

Um grande rio para ser perigoso, ter condições de afogar pessoas, naufragar barcos, tem que ter um grande volume de água. Também e necessário ter grande profundidade, enfim tem que ser um grande rio.
Para ter estas qualidades ele depende de seus afluentes. Onde o rio nasce, ele é calmo tranqüilo, não causa nenhum mal para as pessoas que vivem as suas margens. Suas águas são rasas, é apenas um simples riacho, nesta fase ninguém precisa temê-lo. Para este pequeno curso de água se transformar e ficar perigoso depende do caminho que ele percorre e do volume das águas dos seus afluentes.
Vamos usar como referencia o nosso rio amazonas. Ele nasce no peru, tem uma extensão de seis mil duzentos e setenta e cinco quilômetros, o que o faz ser tão volumoso são seus afluentes. Na margem direita: Javari, Juruá, Tefé, Coari, Purus e Madeira e pela margem esquerda: Içá, Japurá, Negro, Jamundá, Trombeta, Paru e Jarí.
O marginal também para ser perigoso, matar, roubar, estuprar, enfim, causar problemas á sociedade, depende dos seus influentes. Quando ele nasce, não faz mal a ninguém, só causa alegria para as pessoas que o cercam, neste momento é apenas um inocente bebezinho. Para torna-se perigoso, este ser, depende do caminho que percorre e também dos seus, repetindo, influentes. Do lado direito: o ambiente paupérrimo, a péssima alimentação, a falta de uma boa estrutura familiar, a negligência do governo em proporcionar uma educação escolar adequada, a falta de oportunidade de um emprego e a ausência de saúde publica decente. Do lado esquerdo, drogas, prostituição, corrupção policial, a morosidade da justiça, o péssimo sistema prisional, as quadrilhas de receptação, os traficantes de drogas, a corrupção dos políticos e a péssima estrutura do estado. Tudo
isso no caminho daquela inocente criança, fará com que ela se transforme em perigoso marginal, mas na verdade ele é o fruto da influência de tudo isso que foi mencionado.

Ensino,religião e política. criticas. disse...

Continuação. Se percorrermos um caminho todo asfaltado e bem cuidado, chegaremos ao fim da viagem limpos. Se percorrermos um caminho cheio de lama, chegaremos ao fim da viagem todos sujos e enlameados. Para melhorar a viagem temos que melhorar o caminho, se o melhorarmos, teremos uma viagem mais tranqüila e mais feliz.
Nossa vida na terra é como uma viagem, sendo assim quem nasce em berço de ouro leva uma grande vantagem em relação a quem nasce em uma favela, por exemplo; no primeiro caso o viajante tem um ótimo pré-natal, um excelente parto, uma infância privilegiada, com ótima alimentação com todos os cuidados médicos, uma adolescência cheia de vantagens com ótimas escolas até sua formatura.
Quem nasce na favela, favela, eu digo servindo apenas como exemplo, porque isso pode acontecer em qualquer lar com pobreza absoluta, este viajante infeliz, pobre e descamisado como dizia o malfadado ex-presidente Collor de Mello. Este coitado, vitima deste sistema perverso, terá um pré-natal nas filas do I.N.P.S., terá um parto feito às vezes com muita ma vontade, por funcionários que ganham pouco, em muitos casos nem merecem ganhar mais por falta de capacidade. Em seguida terá uma infância com má alimentação, causando com isso distúrbios em seu desenvolvimento físico e mental. Sua adolescência será marcada por um ensino precário, medíocre e enganador, estudo que não lhe dará nenhuma chance de disputa para ingressar em uma faculdade publica, enfim observem a dificuldade deste pobre viajante. Por isso baterei sempre nesta tecla, marginal não nasce marginal, marginal é fruto desta sociedade podre, podre por dentro porque aparentemente parece justa e maravilhosa, mas a verdade e bem outra, isso ninguém pode contestar e nem dizer que esta tudo bem e que nosso país e maravilhoso.
Aproveito esta crônica para fazer menção a um artigo publicado na revista, viver psicologia, onde há um artigo escrito pela psicóloga, Mara Martins Passos, artigo este o qual diz, “a sociedade como um todo, julga que quem esta nas penitenciárias, está lá porque é intrinsecamente “mau”. Fez algo muito errado. E que quem esta aqui fora são os “bonzinhos”. A priori, as coisas são vistas assim. Mas nós sabemos que não é assim de modo algum, que as coisas ocorrem. De uma maneira simplista pode-se deduzir que os bons, estão fora das cadeias e os maus estão dentro delas” “isso tudo é uma grande mentira” Na verdade existem mais bandidos fora das cadeias do que dentro delas, é só computar todos os políticos corruptos, os policiais corruptos e muitos outros tipos de desonestidade que é inerente a todos nós seres humanos.

Esta crônica foi extraída do livro, Crônicas, indagações e teorias. Autor Paulo Luiz Mendonça. Editora Scortecci.http://pauloluizmendonca.judblog.com




QUAL É O SEU GRUPO.

Ensino,religião e política. criticas. disse...

QUAL É O SEU GRUPO.
Há dois grupos de seres humanos. Os membros do primeiro grupo são aqueles que usam o potencial maravilhoso do seu cérebro, potencial este que é inerente a todos os humanos. Estes usam este potencial com criatividade, persistência e Perspicácia, conseguindo com isso, um invejável progresso e uma vida perfeitamente equilibrada. Os membros do segundo grupo são mais tranqüilos, desprezam preguiçosamente o potencial maravilhoso do seu cérebro, são essencialmente acomodados. Estes quando se encontram em dificuldades tanto financeira como com problema de saúde, se dirigem fervorosamente cheios de fé, as entidades supremas em busca de um milagre. Eles não descobriram ainda que milagres são como prêmios de loteria, somente alguns poucos são privilegiados. Também não descobriram ainda que o principal milagre, Deus já o fez, que é ter dado a nós uma privilegiada inteligência.
Paulo Luiz Mendonça. Autor do livro Crônicas, indagações e teorias. Editora Scortecci.
http://pauloluizmendonca.judblog.com


QUAL A NOSSA POSIÇÃO.

Os seres humanos que usam sua inteligência e criatividade sabem perfeitamente delinear seu próprio destino, baseando no bom senso e na razão. Os demais seguem fanaticamente os ditames da multidão.
.
Paulo Luiz Mendonça, Autor do livro, Crônicas, indagações e teorias. Editora Scortecci.


O poder do livro.

Pensamentos bons e construtivos, quando não proferidos são inúteis eventos. Pensamentos bons e construtivos transformados em palavras são úteis alentos. Pensamentos bons e construtivos transformados em escrita são benefícios gloriosos que as paginas de um livro nos dita.
Paulo Luiz Mendonça.

Ensino,religião e política. criticas. disse...

OS MAUS INTENCIONADOS

Nós temos o hábito de criticar a política, dizendo que os políticos são corruptos, aproveitadores do estado. Isso não é verdade, os políticos verdadeiros estão na política, porque almejam um melhor futuro para nosso país. Eles estão lá para criarem leis que possam influenciar no nosso progresso. O que temos que entender na política, é saber separar o que é político verdadeiro, e aqueles estelionatários que vêem na política um campo fértil para a aplicação de seus golpes. Estes estelionatários sabem que o controle das finanças do país é extremamente vulnerável, sendo assim eles como são possuidores de uma inteligência privilegiada, a qual é voltada para a maldade, se locupletam com esta vulnerabilidade do estado. Na verdade estes não são políticos são na verdade estelionatários disfarçados de políticos.
Temos solução para este problema? Sim temos; a solução é em primeiro lugar, escolaridade adequada, em seguida, politizar o nosso povo, para que nós cidadãos comum possamos ter discernimento adequado na hora de escolher nossos representantes para exercer cargos políticos.
Infelizmente há pessoas que procurando somente seu bem-estar sem se importar com o todo da população, vota em candidatos duvidosos, que o mesmo, depois de eleito lhe conseguirá um bom emprego. Isso na verdade é compra e venda do voto. Este procedimento na verdade é imoral, porque este cidadão ao vender seu voto, estará prejudicando a população como um todo. Qual conclusão, nós tiramos disso. Este fato acontecendo em todo nosso país é o que tem nos levado ao caos total. Enquanto uma minoria tem suas situações resolvidas, conseguindo seu emprego, muitas vezes sem merecer, a maioria da população esta a mercê de políticos inescrupulosos, que se locupletam nos cofres do estado.

Esta crônica foi extraída do livro Crônicas indagações e teorias autor Paulo Luiz Mendonça.

Ensino,religião e política. criticas. disse...

O QUE EU PENSO DA POLÍTICA.

A melhor comparação que faço da política brasileira. Como sempre, salvo as raras e honrosas exceções. Pois há muitos políticos bons, mas a maioria sem sombra de duvida são picaretas. Tempos atrás eram, segundo o sindicalista Lula, trezentos, mas agora, com o avanço da tecnologia e o aumento desenfreados da impunidade, esse numero deve ter no mínimo triplicado. Imaginem um troço de fezes, quando ele esta estático, de preferência sobre o sol, o mesmo cria uma espécie de película protetora, a qual impede que o mau cheiro se propague, com isso não afeta muito nosso olfato, mas quando alguém mexe e remexe o referido, o cheiro fica insuportável.
A política brasileira, e todas as políticas de países de terceiro mundo, e também, com menos intensidade nos países do primeiro mundo. É a mesma coisa. Às vezes, durante um tempo, às coisas parecem estar tudo mais ou menos bem, mas subitamente surge uma noticia de uma nova corrupção, este fato passa a ser investigado, nesse momento inicia-se uma cassada aos culpados. Mas por incrível que possa parecer, ao invés de contratarem detetives para esclarecer os fatos. Imaginem eles contratam pizzaiolo. Depois deste procedimento não há possibilidade de haver justiça, o que temos como resultado é pizza. É como se estivesse mexendo e remexendo em algo muito podre, logo começa a exalar um mau cheiro, terrível, insuportável. Se alguém tiver uma definição melhor do que esta para a política, que me passe esta informação ficarei muito grato.

Esta crônica foi extraída do livro Crônica, indagações e teorias. Autor Paulo Luiz Mendonça.

http://pauloluizmendonca.judblog.com

Ensino,religião e política. criticas. disse...

Prosperidade.

Procurando prosperidade em igrejas evangélicas: Deixem disso, prosperidade tem que ser conseguida por nossos próprios esforços, temos que estudar com afinco, procurar aprender uma profissão, batalhar e, sobretudo levantar cedo, Pois Deus ajuda quem cedo madruga. Subornar Deus com dinheiro dado as igreja para ter prosperidade, isso é um absurdo, Acho que podemos até chamar isso de estelionato contra o criador, Ora deixemos Deus em paz cuidando dos incapacitados, das criancinhas indefesas, dos idosos abandonados, os fortes e cheios de saúde tem que se virar por si próprio, mãos a obra minha gente, mais uma vez digo deixem Deus em paz.

Paulo Luiz Mendonça. Autor do livro Crônicas Indagações e Teorias. Editora Scortecci.

Ensino,religião e política. criticas. disse...

Hipocrisia dos falsos religiosos.

Fico perplexo em ver as pessoas acharem que Deus não tem inteligência, porque penso isso. As pessoas são maldosas, egoístas, maledicentes e hipócritas. Não tratam seus semelhantes como a ti mesmo, nem sabem o que é isso. No entanto quando se encontram em dificuldades tanto financeira como com problemas de saúde, vão aos templos que oferecem milagres de baciada, e com a maior cara de pau tentam comprar com dinheiro dado as igrejas a atenção de Deus, para lhes socorrerem dos males que estão sofrendo. Ora Deus tem uma inteligência muito avançada e não irá ajudar quem não merece. Se Deus tiver que ajudar algum de seus filhos naturalmente ira ajudar aqueles que têm uma vida regrada, aqueles que são puros de coração os falsos não adianta irem com dinheiro comprar a salvação. Se desejarem salvação o caminho não é este, o caminho é mudar a conduta, o procedimento e a maneira de viver, ai sim Deus poderá pensar no assunto.
Paulo Luiz Mendonça. Autor do livro, Crônicas, indagações e teorias. Editora Scortecci.

Sérgio Ricardo disse...

Paulo,

Obrigado pelos comentários.

Eu visualizei seu blog e sou partidário de alguns posicionamentos seus.

Gostei de seu aparte e seja bem-vindo ao meu blog.

Fico feliz que pessoas que tenham ideias boas e construtivas me ajudem para que eu possa melhorar sempre meu ponto de vista e os meus ideais.

Forte abraço!
Sérgio Ricardo